Navigation Menu

EXCLUSIVO: Akua Naru fala sobre a carreira, primeira turnê no Brasil, parcerias com Emicida, Rael e muito mais!




Akua Naru tem sido sinônimo de  musicalidade e autenticidade por onde passa. Comparada a grandes ícones da música negra mundial, como Lauryn Hill, por unir a sonoridade clássica do hip hop, e sua maestria lírica em rimas com engajamento social, a talentosa rapper e compositora nascida em New Haven, Connecticut (EUA),  está pela primeira vez  em turnê no Brasil.

No repertório canções de seu aclamado álbum de estreia The Journey Aflame  lançado em 2011, que mostra muito de sua personalidade artística e expressão dentro do cenário do hip-hop.

E a Rolling Soul teve um bate-papo exclusivo com a artista que tem descoberto a força do movimento independente no Brasil e conquistado cada vez mais e mais admiradores e fãs por aqui.

Aperte o play sem moderação e leia na sequência a entrevista na íntegra.


Primeiramente, seja bem vinda ao Brasil. E conte-nos como tem sido sua primeira visita ao nosso país e  experiência nos palcos brasileiros, além de sua impressão sobre o público em relação à sua música?

Crédito/Foto: David Doenges
“ Obrigada.  Está ótima. Eu amo o Brasil. Tem sido incrível. Me apresentando com Rael & Emicida tem sido demais. As multidões trazem uma grande energia. Eu amo cada minuto toda vez que eu subo ao palco. É Foda!”

Conte-nos um pouco sobre você, como foi seu primeiro contato com a música? E quando você decidiu ser artista ?


“Não consigo me lembrar quando foi a minha primeira vez. A Música e a escrita sempre fizeram parte da minha vida. Eu nunca fiz uma decisão consciente de ser uma artista. Eu só gostava de criar arte e tenho feito isso até hoje.” 

E falando sobre música, como  é ser considerada “a guardiã do cool flow” por ninguém mais ninguém menos que o lendário baterista do Fela Kuti, Toddy Allen; E ter seu trabalho associado aos grandes ícones da música negra americana? 

 “Estou incrivelmente honrada. Não há palavras para descrever como me sinto.” 

Enquanto, alguns artistas tem buscado inspiração e trilhado seus caminhos rumo aos EUA, você fez o caminho inverso.  Em  qual momento e porquê você decidiu sair de sua cidade natal e levar sua música ao mundo? Você acredita que a black music nos EUA perdeu um pouco da sua essência? 

 “Eu não concordo com isso. A tradição  da Black Music americana é tão vasta,  bela e profunda. Esta é a nossa tradição e nós nunca vamos perder essa essência. Comecei a viajar porque era um sonho meu, não houve um momento exato que eu posso contar.” 


Crédito/Foto: David Doenges
Alguns artistas tem saído dos EUA  em busca de uma liberdade artística que acreditam não existir mais na América, você  também foi motivada por isso? 

 “Como eu mencionei, eu sempre quis viajar. Eu queria misturar minhas duas paixões, o amor de apresentar e criar músicas com o meu  amor por viagens. Eu fui motivada pela minha paixão e amor por essas coisas.” 

Mesmo com alguns elementos característicos da música negra do seu país,  sua  sonoridade consegue ser tão original e diferente de tudo o que tem por aí. Como tem sido sua busca pelo diferencial que a torna tão marcante ao ouvirmos a sua voz? Quem foram/são suas referências musicais?

“Estou apenas sendo eu mesma. Isso é tudo. Há tantos grandes artistas que eu amo ... Nina Simone, The Roots, Lauryn Hill, Gregory Porter, Robert Glasper, Curtis Mayfield, e tantos outros para citar.” 

Sobre suas composições. Como é esse processo para você? O que tem te inspirado atualmente?

 “ Eu sou inspirado pela vida e amor. Qualquer coisa pode ser uma fonte de inspiração. Cada música tem a sua própria história  quando se trata de vida. Às vezes, uma música vem através de uma melodia que eu ouço na minha cabeça, outras vezes eu ouço um poema lírico, às vezes, um dos músicos traz uma ideia. Tudo depende.”

Conhecemos a sua música, e nos apaixonamos pela faixa “The World Is Listening”, onde você cita no refrão o nome das maiores rappers da história, como Left Eye do TLC, Lauryn, Missy etc... No atual cenário musical você acompanha/curte a carreira de alguma rapper feminina?

 “Claro. Eu sou fã de Rapsody, Dynasty, Sa-Roc ... muitos ..” 




O que, além das diferentes vertentes da Black Music, você costuma ouvir no celular, quando está em casa, em seu carro...? Tem algum artista no cenário atual que tem lhe chamado a atenção?

 “Neste momento, estou ouvindo Gregory Porter. eu amo  tanto a música dele.”

Clique na página 2 e leia mais!
               ↓



Foto: Ênio César
Como aconteceu a parceria com Emicida e Rael? 

“ Eu e o Emicida estávamos conectados a um monte de pessoas em comum. Finalmente nos conhecemos pessoalmente neste verão, quando ele estava em sua turnê européia. Imediatamente nós fomos ao estúdio trabalhar em músicas e trocar ideias. Eu conheci Rael pouco depois via skype.” 

Você já conhecia a música Brasileira antes de ter contato com eles? Tem algo da nossa música que você acredita que pode/poderia enriquecer ainda mais o seu som?

 “Eu conheci algumas música brasileira antes, e estou aprendendo ainda mais agora. Eu estou definitivamente inspirado e certa de que isso será refletido  em minha música no futuro.” 

Para quando podemos esperar o lançamento das músicas feitas com eles?  Você pode revelar o título?  

 “Eu não posso te dizer o nome porque ainda não decidi. Mas posso dizer-lhe que a faixa é demais e você poderá ouvi-la muito em breve.” 

Reprodução/Instagram: Drummer, Akua Naru, DJ & Silvera 
Soubemos que você foi convidada para colaborar com Sorry Drummer no segundo álbum do produtor e baterista, “Sorry Drummer & Friends Vol. 2”.Quando isso vai acontecer?

 “ [A gravação começa] na semana que vem e eu mal posso esperar!” 

Conte-nos sobre seus próximos projetos. Podemos aguardar pelo lançamento de um novo álbum da Akua Naru em breve? 

“SIM! O novo álbum será lançado na Primavera de 2015! Ele é o meu melhor trabalho até o momento e eu mal posso esperar para compartilhá-lo com vocês.” 



Agradecemos pela entrevista, e você pode dar uma mensagem para os leitores da revista Rolling Soul?

 “Quero agradecer pelo apoio e enviar todo o meu amor para meus lindos irmãos e irmãs aqui no Brasil. Muito amor para a Rolling Soul !!! Paz.” ” 

Akua Naru que se apresenta nesta sexta-feira com ingressos esgotados no Sesc Belenzinho (SP) encerrará sua turnê em 06 de dezembro em Brasília.

Descubra mais sobre a rapper em akuanaru.com, curta sua página oficial no Facebook e siga @akuanaru no Twitter

Confira a agenda:

29/11 – Rio de Janeiro (RJ) – Emicida, Rael e Akua Naru @ Borallá Street Rio
Local: Estação Leopoldina – Barão de Mauá
Endereço: Avenida Francisco Bicalho, s/n – Centro.
Horário: a partir das 18h
(open bar das 18h30 às 22h30)

Ingressos: 1o lote esgotado
2o lote R$ 280 – meia entrada R$ 140
Pontos de venda
Venda Online: www.ingresssocerto.com
Pontos de venda:
Banco de Areia - Rio Sul
Banco de Areia - Shopping Leblon
South – Barra Shopping
South – Centro

 AGÊNCIA CULTURAL

Posto BR Piraquê
Posto BR Bouganville
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1540883702807761/

05/12 – Curitiba (PR)

06/12 – Brasília (DF) – Akua Naru part. especial na festa Melanina.
Local: Clube ASCADE
Endereço: Setor de Clubes Sul, trecho 02– próximo a AABB
Horário: 23h
Ingressos: Antecipados: R$ 40,00 (primeiro lote limitado) *sujeito à alteração

Pontos de venda:
Lojas Koni Store (209 sul e 109 norte)
Loja Endossa (307 sul).
Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/788795867829591/



  1. 1
  2. 2
  3. 3

0 comentários:

Follow @ RollingSoulBrasil