Navigation Menu

CRÍTICA DO ÁLBUM: 'MY GARDEN' - KAT DAHLIA



“My Garden” é o primeiro álbum de estreia da cantora Kat Dahlia, lançado no dia 13 de janeiro de 2015. Depois de vários adiamentos, finalmente seu debute foi liberado pela gravadora Epic Records.  Confesso que estava louco para ouvir este trabalho, pois eu já admirava Kat Dahlia desde seu primeiro single “Gangsta”,então claro que criei muitas expectativas positivas e saibam que depois de ouvi-lo estou simplesmente viciado neste álbum, não consigo pensar em outra coisa (apesar de estar amando também o novo álbum de Jazmine Sullivan, lançado na mesma semana).

“My Garden” é a faixa de abertura e com certeza é umas das mais obscuras. A mensagem que recebemos da interpretação da canção,  é de que esse jardim não é um lugar colorido e repleto de borboletas, ainda mais porque a letra se refere a mulheres interesseiras. Entretanto “I Think I’m In Love” te leva a uma viagem emocional e especialmente nesta faixa é fácil qualquer pessoa se identificar porque ela captura os nossos mais sinceros sentimentos de amor, então é fácil você se pegar cantando alguns versos, porque além de ser pegajosa quem nunca se apaixonou né?

Kat Dahlia co-escreveu praticamente quase todas as faixas (exceto uma), por isso você não se perder durante o decorrer de sua audição, porque a consistência das músicas te deixa focado em tudo. Em "Tumbao", Kat volta as suas raízes cubanas, incorpora sua influência Celia Cruz e nos presenteia com uma faixa latina clássica combinada com R&B e salsa de uma maneira que nunca nenhum artista tenha conseguido. A rapper disse que escreveu essa faixa depois que sua gravadora disse que ela deveria soar “mais latina”.




Segundo Kat , as faixas foram escritas a partir de um relacionamento abusivo há muitos anos  e podemos notar a vulnerabilidade em baladas como “Mirror” e “Just Another a DuDe” canções com as melhores performances vocais do álbum. Em “Lava”, pode se dizer que seja uma influência de Amy Winehouse e em “Clocks”, escutamos uma faixa que  pode ser tornar facilmente um novo hit, apesar de ter sido lançada dois anos atrás




O álbum por completo é perfeito, apesar de Kat Dahlia ter uma voz que nos remete a Janis Joplin jovem, uma cara de Nelly Furtado cubana e uma atitude abusada que nem a da Rihanna, sua personalidade é única. Em “My Garden” nada nos lembra que seja um álbum de estreia. O material é tão completo em ritmos (tantos que é impossível definir se o álbum é Pop, R&B ou Hip-Hop) que apreciamos um trabalho maduro, coesivo e através disso temos certeza de que apesar de ser talentosa  Kat esteve anos trabalhando duro para mostrar a sua arte de qualidade. 

Kat Dahlia talvez possa ser aquela artista que viverá toda sua carreira no “cenário B do mercado musical”, porém nada pode negar que é uma artista talentosa pronta pra ser reconhecida, receber seus Grammys e ter vários hits no top da Billboard.







Por, Cassio Vilela

0 comentários:

Follow @ RollingSoulBrasil